MEDIDAS DE CONTINGÊNCIA A TOMAR NOS OPERADORES DE GESTÃO DE RESÍDUOS

Os operadores de gestão de resíduos são expostos a riscos diariamente, no entanto nesta situação de pandemia global devido a infeção por SARS-CoV-2 (COVID-19), o risco é ainda mais elevado. Posto isto e a Agência Portuguesa do Ambiente (APA) e a Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos (ERSAR), emitiram orientações, para este grupo profissional, que visam garantir a proteção da saúde pública, dos trabalhadores e prevenir a disseminação da doença, compatibilizando-a com a necessidade de uma gestão eficaz e eficiente dos resíduos.

Assim sendo as orientações são:

  1. Os trabalhadores de envolvidos nas operações de recolha e tratamento de resíduos devem:

  • Higienizar as mãos frequentemente;

  • Utilizar e higienizar os equipamentos de proteção individual adequados;

  • A equipa de recolha deve programar as rotas de recolha e evitar a aglomeração de trabalhadores em espaços coletivos;

  • Higienizar as instalações e os veículos;

  1. Os Operadores de Gestão de Resíduos e Municípios deverão:

  • Relativamente a operadores de tratamento de resíduos hospitalares este devem aumentar a frequência e dar prioridade de recolha de resíduos em unidades de saúde do tipo hospitalar;

  • No caso da recolha de resíduos urbanos os Sistemas de Gestão de Resíduos Urbanos, devem prever no seu plano de contingência:

    • O aumento da frequência de recolha resíduos, se possível diariamente.

    • O aumento da frequência de higienização dos contentores, com produto desinfetante, dando atenção aos locais de contacto, como pegas e tampas.;

    • O aumento da frequência de higienização das viaturas de recolha, por fora e por dentro, com utilização de um desinfetante.

    • O encaminhamento dos resíduos indiferenciados, para incineração, nas instalações disponíveis da Valorsul e Lipor (em Lisboa e Porto respetivamente) ou para aterro;

    • Nos resíduos colocados em aterro, este devem ser cobertos com maior frequência, num curto espaço de tempo e se possível diariamente

    • Devem ser encerrados os tratamentos mecânico de resíduos indiferenciados, reduzindo assim a exposição dos trabalhadores destas unidades.

  • Os resíduos de embalagens/recicláveis recolhidos seletivamente através dos ecopontos deverão ser armazenados na unidade de triagem, por um período definido pela Direção Geral de Saúde;

  • Caso não existam trabalhadores suficientes que permitam a frequência das recolhas, todos os resíduos indiferenciados e frações seletivas serão recolhidos em conjunto;

No entanto, caso se verifiquem medidas de isolamento social generalizado, serão prestados os seguintes serviços mínimos:

  • Recolha e tratamento de resíduos urbanos, com periocidade diária para os resíduos indiferenciados;

  • Recolha e tratamento de resíduos perigosos, com especial enfoque nos resíduos hospitalares;

  • Recolha a tratamento de lamas e outros resíduos do tratamento de águas residuais urbanas.

Se é operador e necessita de apoio na elaboração do seu plano de contingência a SEA SOLUÇÕES ajuda-o a não correr riscos, para o bem de todos!

Contacte-nos

 

Joana Fernandes
Engª Ambiente e Técnica Sup. HST
Partilhar :

Comments are closed.