CONHECER OS PERIGOS DOS ADITIVOS E METAIS PESADOS CONTAMINANTES DA CADEIA ALIMENTAR

Os aditivos alimentares são substâncias naturais ou artificiais adicionadas, com valor nutritivo ou não, misturados intencionalmente aos alimentos para melhorar as suas propriedades e aumentar a sua segurança e validade, não podendo constituir um risco para o consumidor.

Os aditivos proporcionam cor, sabor, consistência, humidade, estabilidade e ajudam no processo de preparação, tornam os alimentos mais atraentes e impedem o desenvolvimento de microrganismos e a oxidação.

Quando presentes no alimento, os aditivos devem constar sempre da lista de ingredientes do género alimentício, mencionados claramente, com o nome químico ou a designação “E” e as funções que deve desempenhar.

 

POTENCIAIS EFEITOS ADVERSOS DOS DIFERENTES ADITIVOS ALIMENTARES NA SAÚDE:

E 100 – 199

Corantes

asma, alterações na mucosa gástrica, manifestações na pele (urticária, dermatite), dores de cabeça, tonturas, vómitos e fadiga, danos neurológicos, lesões hepáticas e biliares e a longo prazo certos aditivos podem ser cancerígenos

E 200 – 299

Conservantes

E 300 – 399

Antioxidantes

E 400 – 499

Emulsionantes e estabilizadores

E 500 – 599

Espessantes

E 600 – 699

Intensificadores de sabor

E 900 – 999

Edulcorantes

Acidificantes e reguladores de acidez

 

 Para além do cuidado na utilização dos aditivos alimentares, é também necessário ter atenção aos contaminantes. Os contaminantes são substâncias potencialmente tóxicas à saúde humana, de natureza inorgânica ou orgânica, que não são intencionalmente adicionados a alimentos. Essas substâncias podem ter origem numa ampla gama de fontes alimentares como resultado da produção, fabricação, processamento, preparação, tratamento, embalagem, transporte (a chamada Cadeia Alimentar) ou armazenamento de alimentos ou rações, ou ainda, serem fruto da contaminação ambiental. Os contaminantes ambientais, por sua vez, são impurezas que ocorrem naturalmente no ambiente ou que são introduzidas pela ação humana, como os metais pesados. A exposição humana aos metais pesados via alimentação relaciona-se com o consumo de vegetais, frutos, peixe ou marisco contaminados a partir dos solos ou da água circundante.

 

POTENCIAIS EFEITOS ADVERSOS DOS DIFERENTES METAIS PESADOS NA SAÚDE:

METAL PESADO

IMPACTOS NEGATIVOS NA SAÚDE

Arsénio

Existe em forma orgânica e inorgânica. A ingestão excessiva de arsénio pode provocar doenças cardiovasculares e hipertensão. A toxicidade das suas formas inorgânicas é a que tem maior impacto no corpo humano, e a longo prazo pode ser cancerígeno.

Cádmio

A ingestão excessiva de cádmio pode resultar em insuficiência renal, amolecimento dos ossos e até fraturas ósseas nos casos mais graves.

Chumbo

A quantidade de chumbo absorvida pelo organismo determinará a gravidade dos danos infligidos aos órgãos, embora seja mais nocivo para os sistemas neurológico, reprodutivo e imunológico.

Mercúrio

A exposição a longo prazo pode causar dormência, perceção sensorial prejudicada, danos neurológicos, e afetar o cérebro e o desenvolvimento intelectual nos fetos e nas crianças.

Estanho

Induz desconforto gastrointestinal.

Sistematizar e integrar informação sobre aditivos e contaminação alimentar, avaliar o seu impacto na saúde, sensibilizar e contribuir para a formação dos profissionais da saúde e outros em segurança alimentar. Assim, é garantida a qualidade em todo o processo de manipulação alimentar e consumo com devida segurança.

Não fique pelo desconhecido, a SEA Soluções garante formação nas área da Higiene e Segurança Alimentar.

 

Elisabete Gonçalves
Engª Segurança no Trabalho e Técnica Higiene Alimentar
Partilhar :

Comments are closed.